“Jogadores Excepcionais”

“Os meus jogadores foram sempre excepcionais”. A frase foi proferida por Pedro Duarte, técnico da equipa júnior do Sporting Clube de Braga, no dia 18 de Janeiro de 2014, no final do jogo com o Paços de Ferreira, desafio realizado no Campo da Ponte, em Braga, e que terminou com um triunfo por 2-1 dos jovens arsenalistas. Nesse dia, na penúltima jornada da primeira fase da competição, o golo de Vilela, aos 87 minutos, diante de um adversário directo na luta pelo apuramento, ditou uma passagem épica, marcada por muito suor e carregada de dificuldades.

No final do embate, o timoneiro dos arsenalistas, referia ainda que “as dificuldades” da primeira fase tinham “ajudado a equipa a crescer” e que, após esse objectivo, os seus pupilos estavam “preparados para lutar, jogo a jogo, ponto a ponto”.
É natural que este dia tenha sido um dos momentos chave para um triunfo épico, para a entrada de um colectivo na galeria dos notáveis do Sporting Clube de Braga. Esse encontro com o Paços de Ferreira espelha na plenitude aquilo que foi esta formação ao longo da temporada desportiva.

SC Braga – Jogadores e Treinadores

Com qualidade, carregada de crença e vontade e, acima de tudo, com um espírito colectivo inolvidável. Em campo de batalha, foram eles os verdadeiros Guerreiros do Minho. Foi este o grupo de trabalho que encarnou cada jogo como se fosse a batalha de uma vida.

António Salvador assume-se cada vez mais como o melhor presidente de todos os tempos do Sporting Clube de Braga naquilo que é o contexto do futebol. Ao nível sénior estreou-se com a conquista da Taça Intertoto. Seguiu-se uma presença numa final europeia – a Liga Europa – e a vitória na Taça da Liga. Agora alcança um título nos escalões formativos, curiosamente o mais importante, uma vez que os juniores A são o último passo para a montra principal. É claro que existe ainda a equipa B e que, no próximo ano, vai albergar alguns destes atletas. Que albergue as suas qualidades, mas também o seu espírito de conquista.

De Carlos Baptista (1977) a Pedro Duarte (2014) viajaram 37 longos anos. Por se registar mais de três décadas de distância, esta conquista-se assume-se como épica. Deve ser celebrada até à exaustão, mas deve igualmente servir de exemplo e de motivo de reflexão. No actual panorama do futebol português, o Sporting Clube de Braga sabe que pode somar conquistas, mas pode claramente torná-las mais frequentes. O passo para a academia desportiva tem que ser dado rapidamente. O clube e a SAD têm que dar esse passo.
Parabéns Pedro! Parabéns Mário! Parabéns a todos os campeões!

“Todos podem ver as tácticas de minhas conquistas, mas ninguém consegue discernir a estratégia que gerou as vitórias”.