Entrevista Bancada.pt

Tiago Sá foi chamado ao onze inicial do SC Braga e correspondeu. O Bancada foi saber mais sobre o guardião de 23 anos.

Desde que Tiago Sá assumiu a titularidade no SC Braga, a baliza dos minhotos não mais sofreu golos para o campeonato. Se isto só por si não bastasse, a equipa treinada por Abel Ferreira chegou à liderança isolada da Primeira Liga e muito disso se deve ao papel que teve o triunfo sobre o Sporting (1-0), na quinta jornada. Vitória essa que teve no guarda-redes dos bracarenses um dos principais destaques, com um par de defesas a remates que levavam selo de golo. O guardião de 23 anos foi chamado ao onze inicial na sequência da lesão de Matheus e tem sabido aproveitar de forma exímia para mostrar que o tempo passado na equipa B compensou… e de que forma.

Quem conhece Tiago Sá descreve a concentração como um dos traços principais que o fazem o guarda-redes que é nos dias que correm. Pedro Duarte foi treinador do guardião nos escalões de infantis, iniciados e juniores do SC Braga, tendo acompanhado o trajeto do jovem “de pequenino a homem”, tal como contou em conversa com o Bancada. “Uma das principais características do Tiago é a capacidade que ele tem de estar concentrado durante todos os 90 minutos. E essa concentração leva, muitas vezes, a conquistar pontos”, considerou o técnico, que utilizou o jogo entre bracarenses e Sporting como exemplo.

FUTEBOL – durante o jogo Chaves – SC Braga relativo a 4 Jornada da I Liga. Estadio Municipal de Chaves. Quinta, 30 de Agosto de 2018.ASF/HELENA VALENTE

“Ainda na semana passada, contra o Sporting, o Tiago fez uma defesa nos últimos minutos. Também nos aconteceu connosco quando fomos campeões nacionais contra o Vitória de Guimarães, aos 90+5’, e frente ao FC Porto também ao mesmo minuto. Foram as únicas defesas que ele teve durante o jogo todo, mas correspondeu com competência”, salientou Pedro Duarte. A comunicação é outra das características chave para o guarda-redes que Tiago Sá é dentro das quatro linhas. “É uma comunicação sem entrar em exageros, do tipo assertivo, na orientação da linha defensiva, na comunicação com os colegas, não fazendo o relato do jogo, mas dando o feedback necessário ao colega. Isso leva também a estar concentrado e a permitir essas tais defesas que muitas das vezes dão pontos.”

Toda a carreira de Tiago Sá tem sido feita com a camisola do SC Braga. Nos juniores, assumiu o protagonismo que o levou a treinar com o plantel principal apenas com 17 anos de idade. A partir de 2013/14, começou a ser chamado aos compromissos do conjunto secundários dos minhotos e somou jogo atrás de jogo na baliza. A competição sénior que foi tendo no segundo escalão permitiu ao jovem natural de Vila Verde a preparação necessária para responder com qualidade quando fosse chamado por Abel Ferreira, tal como aconteceu esta temporada.

“O crescimento do Tiago tem também por base o nível competitivo muito alto a que foi exposto. Tem muitos jogos na Segunda Liga, muitas vivências que dão experiência. Nunca acusou o facto de estar na equipa B e sempre demonstrou capacidade de comunicar com os colegas. Mesmo tendo 23 anos, já tem alguma experiência. E depois soube esperar. Das conversas que tive com ele, dizia-me ‘míster, a minha oportunidade vai chegar e eu estou a preparar-me para isso e ser titular na equipa do SC Braga. Tenho paciência’. A recompensa pelo trabalho diário apareceu e acredito que o Tiago vai dar conta do recado, porque preparou-se para isso durante estes anos todos, foi trabalhando sempre nos limites diários. O Tiago sempre demonstrou, desde pequeno, um caráter, responsabilidade e uma capacidade de trabalho muito grandes.”, confidenciou Pedro Duarte ao Bancada.

A reação ao erro e a autoconfiança

A capacidade para saber lidar com o erro é um dos pontos que distingue os guarda-redes de grande qualidade dos restantes. Aliás, não apenas a forma como se trata um erro, mas sim como se reage ao mesmo e a resposta de dada. No caso de Tiago Sá, essa característica é um ponto forte, nas palavras de quem acompanhou o trajeto do guardião. “Ele teve um crescimento muito grande na saída aos cruzamentos, no jogo de pés. Estando no SC Braga, está numa equipa em que pode ser chamado a intervir apenas duas ou três vezes numa partida e corresponde sempre com grande competência. Quando comete algum erro, tem uma capacidade muito grande para lidar com ele. Ou seja, cometeu o erro, aprendeu com isso, corrigiu-o e foca-se no jogo. No processo de formação em que o acompanhei, obviamente que cometeu alguns erros, mas teve essa frieza e maturidade para crescer sob o erro”, comentou o ex-técnico de Tiago Sá.

O registo de Tiago Sá na baliza do SC Braga merece ser assinalado. São 270 os minutos sem conceder qualquer golo, mais precisamente três partidas, sendo elas contra Belenenses SAD (3-0), Sporting (1-0) e GD Chaves (1-0). Ainda é uma incógnita se o português será a escolha de Abel para a baliza minhota até ao final da temporada. Matheus deverá estar parado (lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito) até fevereiro ou março de 2019, mas há a concorrência de Marafona por um lugar. Ainda assim, quem conhece Tiago Sá acredita que a motivação que leva pode ajudar em consolidar o estatuto de titular.

“Ele deu uma resposta muito positiva frente ao Sporting, num jogo de exigência elevada. Teve duas defesas de dificuldade elevada, a remates de Nani e Jovane, e acabou por dar pontos ao SC Braga. Fez também um bom jogo agora frente ao Belenenses. Obviamente que ficar sem sofrer golos também ajuda a elevar ainda mais os níveis de confiança, embora o Tiago seja um atleta com uma autoconfiança muito grande naquilo que são as suas capacidades. Acredito que o Tiago vai começar a fazer carreira na baliza do SC Braga”, considerou Pedro Duarte.

Com alguma escola de seleções jovens portuguesas (nove jogos pelos Sub-19 e três nos Sub-20), já se fala, inclusive, numa possível observação de Fernando Santos a Tiago Sá. Pedro Duarte considerou que “dentro de um ou dois anos, o Tiago poderá começar a ser chamado à Seleção”.